Bike Salvador Vai de Bike - Prefeitura Municipal do Salvador Salvador Vai de Bike: o projeto que colocou a cidade sob duas rodas - Salvador Vai de Bike

 

O dia 22 de setembro, conhecido como o Dia mundial Sem Carro, ganhou um tom especial para a capital baiana: Salvador inaugurou o sistema público de bicicletas compartilhadas, por meio do Movimento Salvador Vai de Bike, que busca incentivar o uso das bicicletas na cidade, impactar positivamente a mobilidade urbana e disseminar uma cultura de sustentabilidade entre os soteropolitanos.

Salvador é a quinta capital do país a implantar o projeto, além de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Recife. A iniciativa é da prefeitura em parceria com a empresa pernambucana Serttel e o banco Itaú. Para usar o sistema, o usuário realiza um credenciamento anual no valor de R$10, que pode ser feito no site do programa.

“Primeiro, realizamos um mapeamento da cidade e escolhemos 40 locais onde poderiam ser instalados os pontos de compartilhamento, cada um com dez unidades de bikes”, explicou o secretário do Escritório Municipal da Copa do Mundo da Fifa (Ecopa), Isaac Edington, principal incentivador da ideia. Quanto ao descrédito de algumas pessoas sobre o sistema em relação à preservação dos equipamentos e questões de segurança pública (as bicicletas terão chips e serão monitoradas 24 horas), o gestor do Ecopa lembrou que o programa deu certo em todas as cidades em que foi implantado.

O sistema consiste na instalação de estações “inteligentes” em locais estratégicos, conectadas a uma central de operações via wireless alimentadas por energia solar. “Desde a Cidade Baixa até Itapuã, planejamos dez iniciativas, entre ciclovias e ciclofaixas, para formar uma malha cicloviária. Agora, investiremos em educação e incentivo para criar essa cultura, do uso de bicicletas como alternativa ao transporte”, completou o secretário. A primeira ciclofaixa liga o bairro do Campo Grande ao Centro.

Nova cultura


“Vamos inserir uma nova cultura na cidade, uma mudança de paradigma tanto para o lazer quanto para o transporte”, ressaltou o prefeito de Salvador, ACM Neto. Segundo ele, o segundo circuito a ser instalado é o da orla, entre os bairros Barra e Ondina. “Haverá divisão da pista para garantir o espaço dos ciclistas”, garantiu o gestor, que projeta no programa um dos legados para a Copa do Mundo de 2014 - a capital da Bahia é uma das 12 sedes.

“O ideal é o deslocamento curto dos ciclistas, até três quilômetros, para que o usuário possa retirar outras bicicletas em novas estações”, pontuou o diretor da Serttel, Ângelo Leal, que trouxe o projeto de compartilhamento de bikes para o Brasil após ter se encantado com a experiência de cidades europeias, como a capital francesa, Paris.

Entre os cicloativistas que estiveram presentes na inauguração do sistema de compartilhamento de bicicletas, no centro de Salvador, a paulista Renata Falzoni defendeu que as ciclofaixas são “as sementes de tudo” e lembrou que a capital baiana encontra-se “atordoada por tantos carros”. “Vou torcer para que o programa dê certo na prática. Com vontade política, vai. Sou otimista”, disse.

Como funciona
1° Passo: O usuário precisa se cadastrar no sistema pela internet. No cadastramento, será necessário efetuar o pagamento da anuidade, com valor R$10, através de cartão de crédito, sem a cobrança de tarifas diárias ou mensais. Depois, será possível utilizar o serviço ao longo de 12 meses.

2° Passo: Para destravar a bicicleta, o usuário poderá ligar para o número 4062-7024, ou utilizar o aplicativo do Bike Salvador para smartphones, informando o número de identificação da estação e da bicicleta que deseja retirar. Em breve, será disponibilizada a destrava através do Salvador Card.