Bike Salvador Vai de Bike - Prefeitura Municipal do Salvador Violência contra a mulher recebe o repúdio de 500 ciclistas em Salvador - Salvador Vai de Bike

Foto: Fernanda Vivas

 

Além de se exercitarem e apreciarem belas paisagens na Capital baiana, mais de 500 ciclistas se reuniram e pedalaram em um ato de repúdio contra a violência com a mulher. Desde as primeiras horas de ontem, homens e mulheres de todas as idades chegaram ao Dique do Tororó onde ocorreu a concentração.
Com um quilo de alimento não perecível que foi doado para as Obras Sociais Irmã Dulce, os participantes pegavam a camisa de divulgação da campanha, realizada pela Prefeitura de Salvador, e pedalaram 16 quilômetros, amparados com carros de som, água, equipe médica, Guarda Municipal e agentes da Transalvador.


A campanha teve como madrinha a cantora Margareth Menezes, que chegou vestida a caráter e falou sobre a questão da violência e sobre o programa Vai de Bike Salvador. “A mulher brasileira e a mulher baiana merecem consideração e respeito. A mulher tem ganhado papeis de destaque na sociedade e hoje ela é dona de casa, além de exercer suas funções fora e muitas mantêm o sustento em seus lares”, falou a cantora.


Sobre o programa, a artista disse que é uma iniciativa muito boa que vem dando certo. “Grandes cidades da Europa já têm as bicicletas como meio de transporte e essa iniciativa está sendo positiva, além de contribuir para uma vida saudável”, disse Margareth, pouco antes de pegar sua magrela para pedalar pela cidade.
O objetivo é fazer uma mobilização focada na prevenção e no enfrentamento às situações de violência contra a mulher e demais problemáticas como tráfico, agressões, estupros, violações de direitos, entre outros.


“Será uma campanha de conscientização sobre a não violência contra as mulheres, em alusão ao dia 8 de março, utilizando um movimento que alia esporte e lazer a uma cultura de qualidade de vida”, afirmou a superintendente de Políticas para Mulheres, Mônica Kalile. Segundo ela, em 2012, Salvador ficou em 2º lugar no Brasil, no ranking em homicídios contra a mulher. “As mulheres merecem respeito e, sobretudo, procurar seus direitos. Nenhuma mulher pode viver coagida e sendo abusada, tendo seus direitos de ir e vir violados dentro de uma casa. Se alguma for vítima de violência é preciso que denuncie ao telefone 180 ou 3235-4868, que é o Centro de Referência Loreta Valadares”, enfatizou.


Qualquer pessoa podia participar do evento, desde que estivesse de posse de uma bicicleta. Quem não tinha, podia pegar uma das bikes do programa Vai de Bike Salvador, espalhadas por vários bairros. O gestor do Escritório Municipal da Copa (Ecopa), Isaac Edington, que coordena as ações do Salvador Vai de Bike, declarou: “É nosso primeiro grande evento e vários outros estão pautados para chamar atenção das pessoas, tanto para o ato de violência contra as mulheres e também uma forma de estimular uma prática de vida saudável”, contou.


Trânsito modificado


Para dar suporte ao movimento, diversos agentes da Transalvador realizaram apoio aos ciclistas. O fluxo de veículos sofreou alterações em algumas vias para a realização do passeio. Desde as 7h30, a Transalvador interditou progressivamente uma faixa de tráfego na Av. Presidente Costa e Silva (Dique do Tororó), em frente à Arena Fonte Nova, e na Avenida Centenário, além da Rua Airosa Galvão e Avenida Oceânica.
O bloqueio se estendeu também na Rua da Paciência, Largo de Santana, Rua Guedes Cabral, Rua Borges dos Reis, Praça Colombo, Largo da Mariquita, Rua Odilon Santos, Praça Brigadeiro Faria Rocha, Rua Marquês de Monte Santo, Rua Oswaldo Cruz, Rua Conselheiro Pedro Luiz e Av. Vasco da Gama. Os moradores tiveram acesso às vias interditadas mediante apresentação de comprovante de residência, que pode ser contas de telefone, água ou energia elétrica. O passeio finalizou às 11 horas. O próximo já está programado para o dia 30 (domingo) em comemoração aos 465 anos de Salvador, que serão completados no dia 29. O roteiro ainda será definido.

 

Veja a galeria de fotos do Passeio Ciclístico pelo Fim da Violência contra Mulher

 

 

Fonte: Tribuna da Bahia